Arquivo da categoria: Orações

>Oração pelas Vocações Salesianas

>

Deus, Pai amoroso, por amor a este mundo, nos enviaste Jesus, teu Filho, como Pastor e Salvador. Teu Espírito santificador suscitou Dom Bosco e Madre Mazzarello e toda a sua Família Religiosa como colaboradores teus na salvação da juventude. Diante de Ti, Pai Santo, colocamos os adolescentes e jovens de hoje que precisam de educadores e pastores como seus amigos e guias no caminho da felicidade e da salvação. Por isso Te pedimos, Pai bondoso, por Maria, Mãe do Teu Filho, Jesus: abençoa a Família Salesiana e suscita santas e numerosas vocações para os vários serviços em tua Igreja em favor dos jovens e do teu povo. Por Cristo, Nosso Senhor. Amém!

>Como rezar o Rosário?

>

SINAL DA CRUZ

Pelo sinal da santa Cruz, livrai-nos Deus, Nosso Senhor, dos nossos inimigos. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

OFERECIMENTO DO ROSÁRIO/TERÇO

Divino Jesus, nós Vos oferecemos este rosário (terço) que vamos rezar, meditando nos mistérios da nossa Redenção. Concedei-nos, por intercessão da Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, as virtudes que nos são necessárias para bem rezá-lo e a graça de aproveitar dessa meditação e encontro fraterno para uma sincera conversão e renovação de vida. Amém.



Na Cruz, reza-se o Credo.

Segue-se com o primeiro Pai Nosso e três Ave-Marias

  • Ave Maria, Filha de Deus Pai: Ave Maria…
  • Ave Maria, Mãe de Deus Filho: Ave Maria…
  • Ave Maria, Esposa do Divino Espírito Santo: Ave Maria…

Glória ao Pai, e ao Filho e ao Espírito Santo. Assim como era no princípio, agora e sempre. Amém.

Ó meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem

A cada mistério reza-se: 1 Pai Nosso (Contas maiores), 10 Ave-Marias (Contas menores), 1 Glória ao Pai… Ó meu Jesus…


MISTÉRIOS GOZOSOS (segunda-feira e sábado)

1. Anunciação do Anjo Gabriel a Maria;
2. Visita de Maria à sua prima Isabel;
3. Nascimento de Jesus em Belém;
4. Apresentação de Jesus no Templo e Purificação de Maria;
5. Encontro de Jesus no templo entre os doutores da Lei.

MISTÉRIOS LUMINOSOS (quinta-feira)

1. Batismo de Jesus no rio Jordão;
2. Auto-revelação de Jesus nas Bodas de Caná;
3. Jesus anuncia o Reino de Deus, com o convite à conversão;
4. Transfiguração de Jesus;
5. Instituição da Eucaristia;

MISTÉRIOS DOLOROSOS (terça e sexta-feira)

1. Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras;
2. Flagelação de Jesus;
3. Jesus é coroado de espinhos;
4. Jesus carregando a Cruz (Subida dolorosa ao Calvário);
5. A Crucificação de Jesus.

MISTÉRIOS GLORIOSOS (quarta-feira e domingo)

1. A Ressurreição de Jesus;
2. Ascensão de Jesus nos Céus;
3. A descida do Espírito Santo sobre os apóstolos (Pentencostes);
4. A Assunção de Maria aos Céus;
5. Coroação de Maria, como Rainha dos Céus.


AGRADECIMENTO

Infinitas graças Vos damos, Soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de Vossas mãos liberais. Dignai-Vos, agora e para sempre, tomar-nos debaixo do Vosso poderoso amparo e para mais Vos implorar Vos saudamos com uma Salve Rainha.

Reza-se a Salve Rainha

Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.

>O Santo Rosário

>

Em todas as seis aparições em Fátima, Nossa Senhora repetiu: “Rezai o Rosário todos os dias”, mostrando-nos que é a oração que mais lhe agrada e com a qual podemos obter mais facilmente as graças de que precisamos.

Por séculos, a Mãe de Deus ofereceu-nos o mesmo conselho, tanto para resolver problemas pessoais quanto para a solução das grandes questões que envolvem a Igreja e as nações.

Foi por volta do ano 1200 que a Santíssima Virgem entregou o “Saltério” a São Domingos de Gusmão, prometendo que as perturbações originadas por uma heresia seriam afastadas se o povo o rezasse com devoção. Esse “Saltério” ou Rosário era composto de 150 contas em um cordão, formando um círculo, para auxiliar na oração das 150 Ave-Marias em honra da Mãe de Deus. Os efeitos dessa devoção não tardaram. A França, que estava envolta em guerras e confusões de toda ordem, voltou à completa paz. Todos sentiram a torrente de graças e fervor trazidos pela nova forma de piedade.

Foi, porém no século XV que Nossa Senhora aprofundou Suas promessas, aparecendo ao pregador Alano de La Roche e incitando-o a difundi-las a todo o povo católico. Em seu livro “Da dignidade do Saltério”, este Bem-aventurado deixou o relato dessas visões e das famosas 15 promessas a quem reza com confiança o Rosário:

1 – A todos aqueles que recitarem o meu Rosário prometo a minha especialíssima proteção

2 – Quem perseverar na reza do meu Rosário, receberá graças potentíssimas.

3 – O Rosário será uma arma potentíssima contra o inferno, destruirá os vícios, dissipará o pecado e derrubará as heresias.

4 – O Rosário fará reflorir as virtudes, as boas obras e obterá às almas as mais abundantes misericórdias de Deus.

5 – Quem confiar-se a Mim, com o Rosário, não será nunca oprimido pelas adversidades

6 – Quem quer que recitar devotadamente o Santo Rosário, com a meditação dos Mistérios, se converterá se pecador, crescerá em graça se justo e será feito digno da vida eterna.

7 – Os devotos do Meu Rosário na hora da morte, não morrerão sem sacramentos.

8 – Aqueles que rezam o Meu Rosário encontrarão, durante sua vida e na hora de sua morte, a luz de Deus e a plenitude das suas graças e participarão aos méritos dos abençoados no Paraíso.

9 – Eu libertarei, todos os dias, do Purgatório, as almas devotas do Meu Rosário.

10 – Os verdadeiros filhos do Meu Rosário, gozarão de uma grande alegria no Céu.

11 – Aquilo que se pedir com o Rosário se obterá.

12 – Aqueles que propagarem o Meu Rosário serão por mim socorridos em todas as suas necessidades.

13 – Eu consegui do Meu Filho que todos os devotos do Rosário tenham, por irmãos em sua vida e na hora de sua morte, os Santos do Céu.

14 – Aqueles que recitarem o Meu Rosário fielmente serão todos filhos meus amadíssimos, irmãos e irmãs de Jesus.

15 – A devoção do Santo Rosário é um grande sinal de predestinação.

A profundidade de tais afirmações deu grande impulso à devoção do Rosário, de forma que não se conhece história de santo recente que não o tenha rezado diariamente. Por exemplo, São Luís Maria Grignion de Montfort (1673 – 1716), grande apóstolo de Maria Santíssima, assim resume a importância desse sacramental:

“A Santíssima Virgem revelou ao Bem-aventurado Alano de La Roche que, depois do Santo Sacrifício da Missa, não havia devoção mais excelente e meritória que o Rosário, que é como que um segundo memorial e representação da vida e da Paixão de Jesus Cristo”. (Obras de San Luis Maria GRignion de Montfort, El secreto admirable Del Santissimo Rosario, Biblioteca de Autores Cristianos, Madrid, 1954, p.356)

Inicialmente divididos em 3 grupos de 50 Ave-Marias, formando cada parte um Terço, contemplavam-se os Mistérios Gozosos, Dolorosos e Gloriosos da vida de Jesus. E assim foi rezado durante séculos. Recentemente, porém, desejando incrementar essa devoção para contrarrestar os males modernos, o Papa João Paulo II completou essas meditações com os Mistérios Luminosos, contemplando a vida pública de Cristo antes de sua Paixão.

>Fica comigo, Senhor – São Pio

> Fica comigo, Senhor, pois preciso da tua presença para não te esquecer. Sabes quão facilmente posso te abandonar.
Fica comigo, Senhor, porque sou fraco e preciso da tua força para não cair.
Fica comigo, Senhor, porque és minha vida, e sem ti perco o fervor.
Fica comigo, Senhor, porque és minha luz, e sem ti reina a escuridão.
Fica comigo, Senhor, para me mostrar tua vontade.
Fica comigo, Senhor, para que ouça tua voz e te siga.
Fica comigo, Senhor, pois desejo amar-te e permanecer sempre em tua companhia.
Fica comigo, Senhor, se queres que te seja fiel.
Fica comigo, Senhor, porque, por mais pobre que seja minha alma, quero que se transforme num lugar de consolação para ti, um ninho de amor.
Fica comigo, Jesus, pois se faz tarde e o dia chega ao fim; a vida passa, e a morte, o julgamento e a eternidade se aproximam. Preciso de ti para renovar minhas energias e não parar no caminho.
Está ficando tarde, a morte avança e eu tenho medo da escuridão, das tentações, da falta de fé, da cruz, das tristezas. Oh, quanto preciso de ti, meu Jesus, nesta noite de exílio.
Fica comigo nesta noite, Jesus, pois ao longo da vida, com todos os seus perigos, eu preciso de ti.
Faze, Senhor, que te reconheça como te reconheceram teus discípulos ao partir do pão, a fim de que a Comunhão Eucarística seja a luz a dissipar a escuridão, a força a me sustentar, a única alegria do meu coração.
Fica comigo, Senhor, porque na hora da morte quero estar unido a ti, se não pela Comunhão, ao menos pela graça e pelo amor.
Fica comigo, Jesus. Não peço consolações divinas, porque não as mereço, mas apenas o presente da tua presença, ah, isso sim te suplico!
Fica comigo, Senhor, pois é só a ti que procuro, teu amor, tua graça, tua vontade, teu coração, teu Espírito, porque te amo, e a única recompensa que te peço é poder amar-te sempre mais.
Como este amor resoluto desejo amar-te de todo o coração enquanto estiver na terra, para continuar a te amar perfeitamente por toda a eternidade.

Amém.

>Oração aos pés da Cruz – São Pio

>

Ó meu Jesus, dai-me a vossa força quando a minha pobre natureza se revolta diante dos males que a ameaçam, para que possa aceitar com amor as penas e aflições desta vida de exílio. Uno-me com toda a veemência aos vossos méritos, às vossas dores, à vossa expiação, às vossas lágrimas, para poder trabalhar convosco na obra da salvação. Possa eu ter a força de fugir ao pecado, causa única da vossa agonia, do vosso suor de sangue, e da vossa morte.

Afasteis de mim o que vos desagrada, e imprimi no meu coração com o fogo do vosso santo amor todos os vossos sofrimentos. Abraçai-me tão intimamente, em abraço tão forte e tão doce, que nunca eu possa deixar-vos sozinho no meio dos vossos cruéis sofrimentos.

Só desejo um único alívio: repousar sobre o vosso coração. Só desejo uma única coisa: partilhar da vossa Santa Agonia. Possa a minha alma inebriar-se com o vosso Sangue e alimentar-se com o pão da vossa dor!

Amém.

>Tarde Te amei! – Santo Agostinho

>

A minha consciência, Senhor, não duvida, antes tem certeza de que Te amo. Feriste-me o coração com a Tua palavra e te amei. O céu, a terra e tudo o que neles existe, dizem-me por toda a parte que Te ame. Mas que amo eu, quando Te amo? Não amo uma formosura corporal, nem uma glória passageira.

E, contudo, amo uma luz, uma voz, um perfume, um alimento, um abraço, quando amo meu Deus, luz, voz, perfume, alimento e abraço do homem interior, onde brilha para a minha alma uma luz que nenhum espaço contém, onde ressoa uma voz que o tempo não arrebata, onde se exala um perfume que o vento não esparge, onde se saboreia uma comida que a sofreguidão não diminui, onde se sente um contato que a saciedade não desfaz. Eis o que amo, quando amo meu Deus. Mas, o que significa isso?
Disse a todos os seres que me rodeiam às portas da cerne: falai-me de meu Deus, se sois vós, dizei-me ao menos alguma coisa d’Ele. E elas exclamaram com alarido: “Foi Ele quem nos criou. Não somos nós o teu Deus. Busca-O acima de nós! Dirigi-me, então, a mim mesmo; a ti, minh’alma, que certamente és superior ao teu corpo, porque o vivificas. Mas também para ti, a vida da tua vida é o teu Deus. Que amo então quando amo o meu Deus? Quem és tu que estás acima de minh’alma? E onde habitas, ó Senhor? Pois me lembro de Ti desde o dia que Te conheci, e lá Te encontro toda vez que me lembro de Ti.
Tarde Te amei, ó Beleza tão antiga e tão nova, tarde Te amei! Eis que habitavas dentro de mim, e eu lá fora a procurar-Te. Disforme, lançava-me sobre estas formosuras que criaste. Estavas comigo, e eu não estava contigo! Chamaste-me com uma voz tão forte que rompeste a minha surdez. Brilhaste, cintilaste e logo afu-gentaste a minha cegueira. Exalaste perfume: respirei-o suspirando por Ti. Eu te saboreei, e agora tenho fome e sede de Ti. Tu me tocaste e ardi de desejo da Tua paz.

Santo Agostinho, rogai por nós!

>Te Deum

>


Te Deum (Padre João Carlos, SDB)

Te Deum laudamus (bis)
A ti ó Deus, louvamos. A ti, Senhor, cantamos: louvor!
A ti, ó Pai eterno, Se prostra toda Terra: Senhor!
A ti, os anjos cantam, os céus a ti aclamam: louvor!
Proclamam céus e terra, a tua glória imensa, Senhor!

Santo, Santo, Santo, Santo, Santo: É o Senhor!
Deus dos Exércitos, Deus do combate,
Deus da vitória, Deus Sabaoh!

A ti com amor, celebram apóstolos, profetas, ó Pai!

O harmonioso coro dos mártires te louva, Senhor!
A ti, por toda a terra, proclama a Santa Igreja, ó Pai!
Ó Pai onipotente de majestade imensa, Senhor!

Ao Filho, adora a Igreja, Deus vivo e verdadeiro, Jesus!
Também dá glória e viva ao Espírito Divino: Senhor!
O Rei da glória, ó Cristo, do Pai Eterno, Filho, Jesus!
Da virgem tu nasceste pra nos salvar vieste, Senhor!

A morte tu sofreste, a morte tu venceste, Jesus!
Aos que têm fé abrindo dos céus o eterno reino, Senhor!
Sentaste à direita de Deus na glória eleito, Jesus!
Nós cremos na tua volta, virás julgando o povo, Senhor!

Portanto, te pedimos, escuta os que remiste, Jesus!
Com sangue precioso. Nos salva, ó Deus bondoso, Senhor!
Alista-nos ó Cristo entre os teus escolhidos, Jesus!
Cantemos tua vitória um dia lá na glória, Senhor!

>Pange Lingua – São Tomás de Aquino

>

O Hino Pange Lingua foi escrito por São Tomás de Aquino, como um convite para a adoração do Mistério da Eucaristia. As duas estrofes finais são cantadas dentro da capela durante a incensação final que conclui o ato. Este Hino é considerado o mais bonito dos compostos por ele e um dos sete grandes hinos da Igreja Católica.

Pange lingua gloriosi Canta, ó língua, o mistério

Corporis mysterium, Deste corpo glorioso

Sanguinisque pretiosi, E do Sangue Precioso
Quem in mundi pretium Derramado sobre o mundo
Fructus ventris generosi, Fruto do ventre fecundo
Rex effudit gentium. Rei de todas as nações


Nobis datus, nobis natus Foi-nos dado e nasceu
Ex intacta Virgine, Para nós da Virgem pura,

Et in mundo conversatus, Nesta terra Ele desceu,

Sparso verbi semine, Semeou sua Palavra,

Sui moras incolatus Cumprindo aqui o seu tempo

Miro clausit ordine. Grande sinal nos deixou.


In supremaeæ nocte cenæ Na noite santa da Ceia
Recumbens cum fratribus Com os irmãos, reunido

Observata lege plene Observando todo o rito

Cibis in legalibus, Daquilo que é prescrito

Cibum turbæ duodenæ Por suas mãos, em alimento

Se dat suis manibus. Aos doze, se entregou


Verbum caro, panem verum O Verbo encarnado, torna
Verbo carnem efficit: Pelo seu Verbo, pão e vinho

Fitque sanguis Christi merum, No seu corpo e no seu sangue.

Et si sensus deficit, Para além do entendimento,

Ad firmandum cor sincerum Do sincero coração

Sola fides sufficit. A fé é o suficiente


Tantum ergo Sacramentum Este grande Sacramento
Veneremur cernui: Inclinados, adoremos:

Et antiquum documentum Os antigos manuscritos

Novo cedat ritui: Dão lugar ao novo rito:

Præstet fides supplementum Sirva a fé de complemento

Sensuum defectui. Na fraqueza dos sentidos.


Genitori, Genitoque – Seja dado ao Pai e ao Filho
Laus et iubilatio, O louvor, o júbilo

Salus, honor, virtus quoque Saudação, honra, virtude

Sit et benedictio: Assim como a benção

Procedenti ab utroque Ao que de ambos procede

Compar sit laudatio. demos o mesmo louvor.


Amem. Amém

>Oração pelas Vocações

>


Senhor da messe e Pastor do rebanho, faz ressoar em nossos ouvidos o teu forte e suave convite: “Vem e segue-me”! Derrama sobre nós o Teu Espírito, que Ele nos dê sabedoria para ver o caminho e a generosidade para seguir a Tua voz. Senhor, que a messe não se perca por falta de operários. Desperta as nossas comunidades para a missão. Ensina a nossa vida a ser serviço. Fortalece os que querem dedicar-se ao Reino, na vida consagrada e religiosa.

Senhor, que o rebanho não pereça por falta de pastores. Sustenta a fidelidade dos nossos bispos, padres e ministros. Dá perseverança aos nossos seminaristas. Desperta o coração dos nossos jovens para o ministério pastoral na Tua Igreja.

Senhor da messe e Pastor do rebanho, chama-nos para o serviço do Teu povo. Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, ajuda-nos a responder “sim”.

Amém!

>Stabat Mater

>

Ó Santa Mãe, por favor,
faze que as chagas do amor
em mim se venham gravar.

O que Jesus padeceu
venha a sofrer também eu,
causa de tanto penar.

Ó dá-me, enquanto viver,
com Jesus Cristo sofrer,
contigo sempre chorar!

Quero ficar junto à cruz,
velar contigo a Jesus,
e o teu pranto enxugar.

Virgem Mãe tão santa e pura,
vendo eu tua amargura,
possa contigo chorar.

Que do Cristo eu traga a morte,
sua paixão me conforte,
sua cruz possa abraçar!

Em sangue as chagas me lavem
e no meu peito se gravem,
para não mais se apagar.

No julgamento consegue
que às chamas não seja entregue
quem soube em ti se abrigar.

Que a santa cruz me proteja,
Que eu vença a dura peleja,
Possa do mal triunfar!

Vindo, ó Jesus, minha hora,
por essas dores de agora,
no céu mereça um lugar.